Livraberto Diversos

O sonho de Pedro.

Agora.

Pedro caminha lentamente.

Pensativo, moreno.

Tantas direções e um só rumo.

A pedra descansa plena de atividade.

 

Ausente do tempo, elabora.

Não há mais etnias no seu momento.

Nada de longitudes e latitudes, nem além disso.

Somente o aquém, somente o princípio, somente o fim último.

De longe, a Terra é uma rocha molhada.

De longe, todos os mundos estão dormindo e sonhando.

De perto, qualquer objeto é cheio de algo.

De perto há o sonho.

 

E lá vai Pedro sem pressa.

Agora.

 

            (01/09/1999)